• ABPN

Seminário Áfricas e Pós-Abolição: Saberes TransAtlânticos

O Seminário Áfricas e Pós-Abolição: Saberes TransAtlânticos é fruto de diferentes encontros acadêmicos ocorridos nos últimos anos em Minas Gerais. A extensão da linha de pesquisa Memória, Áfricas e Escravidão do LABHOI-Laboratório de História Oral e Imagem da UFF para a UFJF em 2018, transformou o LABHOI em rede interinstitucional e permitiu a integração entre o laboratório e o grupo de pesquisa Afrikas, gerando um novo grupo de pesquisa no CNPq, o LABHOI/Afrikas, que atualmente é coordenado por Hebe Mattos e Fernanda Thomaz.

Em maio de 2019, o programa de Pós-Graduação em História da UFJS promoveu o Iº Seminário de Pós Abolição e História Pública. O encontro reuniu pesquisadores de diferentes instituições e reuniu os membros do GTEP/ ANPUH (emancipações e pósabolição) em Minas Gerais, construindo um evento pioneiro acerca dos temas. No mesmo ano, o LABHOI/Afrikas organizou o colóquio “Áfricas e Brasis: Saberes Transatlânticos” em parceria com os organizadores do Seminário da UFJS e o GETP/ANPUH, realizado nos dias 27 e 28 de novembro de 2019. Essas diferentes interlocuções instigaram a dar continuidade aos encontros e a delinear novos rumos para 2020.


O Seminário Áfricas e Pós-Abolição: Saberes TransAtlânticos, sediado na UFJF, pretende reunir e aprofundar o diálogo acadêmico nos campos de Estudos Africanos, PósAbolição e História Pública. Convidamos pesquisadores a submeterem trabalhos que ampliem as possibilidades de compreensão sobre Áfricas em suas distintas temporalidades e interconexões, de modo a reavaliar o próprio campo de estudos que, nos últimos 16 anos, cresceu consideravelmente no Brasil com produções acadêmicas sofisticadas em torno das experiências e práticas sociais dos africanos, desde o plano continental até suas conexões externas. Buscamos discutir também as interconexões em torno da atlanticidade que margeia as relações com o Brasil e a Afro-América à sombra do tráfico intercontinental, com ênfase na história do racismo e da cidadania negra em contextos atlânticos escravistas e pós-escravistas.


A História Pública da Escravidão e das Emancipações em Minas Gerais, em especial, maior província escravista do país, é outro ponto fundante do Seminário, ratificando o esforço da primeira edição de escrutinar os “becos da memória” negra em Minas, oportunizando a emersão de novas subjetividades negras e refletindo sobre seus desdobramentos na escrita de uma história que descortine novas epistemologias para o ensino de História, a partir dos seguintes eixos temáticos:


ST 1 – Emancipações, pós-abolição e memória. Neste eixo do simpósio, em diálogo com o Grupo de Trabalho Emancipações e PósAbolição (Gtep) da Associação Nacional de História (Anpuh) e procurando aprofundar uma perspectiva decolonial nas abordagens abertas por este campo de pesquisa, bem como fortalecê-lo em Minas Gerais, encorajamos a submissão de trabalhos que articulem os seguintes temas ou abordagens:


1) experiências de escravizações, precariedade da liberdade e possibilidades de cidadania no mundo atlântico;


2) raça, gênero, classe e etnicidade em sociedades escravistas e pós-escravistas;


3) escravidão e racismo estrutural: arcaísmos e modernidade como questões historiográficas;


4) trajetórias e subjetividades negras e indígenas na escravidão e na liberdade;


5) racismo estrutural, escravidão e política no Brasil imperial e republicano;


6) escravidão, racismo e história do trabalho;


7) trabalho rural, migrações negras e pós-abolição em perspectiva comparada;


8) etnogêneses negras e indígenas em perspectiva histórica;


9) movimentos negro e indígena como questão historiográfica;


10) história e cultura negra no Atlântico: revisitando Minas Gerais


ST 2 – Áfricas: Tempos e Reconexões Este simpósio temático propõe pensar as Áfricas em diferentes temporalidades e conexões a partir de várias áreas disciplinares que tem possibilitado a construção do campo de Estudos Africanos no Brasil, permitindo o surgimento de novas abordagens teóricas, metodológicas e epistemológicas. Pretende-se com este simpósio integrar pesquisadores de todo o país instigando à submissão de trabalhos com diferentes temas, podendo sugerir alguns deles:


1) Estudos Africanos e seu ensino no Brasil


2) Deslocamentos e conexões africanas


3) Metodologias de pesquisa e abordagens historiográficas nos Estudos Africanos


4) Movimentos sociais e lutas por direitos em África


5) Relações de gênero e experiências de mulheres africanas


6) Trabalho, relações de dependência e escravidão na África


7) Interconexões atlânticas, tráfico intercontinental e fluxo de populações africanas


8) Dinâmicas religiosas e práticas espirituais


9) Produção artísticas e dimensões culturais no continente africano


10) Intelectuais africanos e caminhos epistemológicos


ST 3 – História Pública e Ensino de História Pensar as relações entre a História Pública e o Ensino de História é o objetivo desse ST, a partir do reconhecimento das interfaces entre divulgação do conhecimento histórico e as formas como passado/presente e se repensam. Para tanto convidamos trabalhos que se pautem em pesquisas voltadas para:


1) Ensino e reescrita da História;


2) Epistemologias do Ensino de História;


3) História Pública e construção de narrativas;


4) Memórias e subjetividades no ensino de História;


5) História pública, currículo e mediação docente,


6) Metodologias de pesquisa e Ensino de História


7) História Pública, racismo estrutural e história subalterna


8) Gênero, raça e classe aos olhos da História Pública Comissão Organizadora: Giovana Castro (UFJF), Hebe Mattos (UFJF), Livia Monteiro (UNIFAL), Fernanda Thomaz (UFJF), Ana Cláudia Gonçalves (UFJF) Conselho Científico e Pedagógico (Preliminares): Martha Abreu (UFF), Mateus Andrade (UFJF), Silvia Brugger (UFSJ), Giovana Castro (UFJF), Keila Grinberg (UNIRIO), Marileide Lazzara, Mônica Lima (UFRJ), Hebe Mattos (UFJF), Livia Monteiro (UNIFAL), Fernanda Thomaz (UFJF).


INSCRIÇÕES: A inscrição para submissão de trabalhos nos STS's deverá ser feita através do formulário até dia 30/03 https://docs.google.com/forms/d/1kwMMrxyfEVsRZ56YmVvPQB-25a8X- RBn2Kg_cLpDObE/viewform?fbclid=IwAR3omHoZy2C58Oqlrtw6WlCvHlKKiY7dz HP2H6o_OZ_upmzoo6gwRHTYgfE&edit_requested=true


1- Resumo: 1800 a 3000 caracteres com espaço (publicação nos ANAIS do evento)

2 - Mini currículo máximo 2000 caracteres E-mail para contato: africasbrasisaberes@gmail.com


Divulgação de trabalhos aprovados: 30/04/2020

Pagamento da taxa de inscrição: 30/04/2020 até 08/05/2020 Valor: R$10,00


Programação completa: 04/05/2020

0 visualização

Contato

WhatsApp: (34) 92000-8172

Email: contatoabpn@gmail.com

logo padrão (PRETA) (1).png

Endereço

Casa de Cultura Graça de Axé, localizado na Avenida Cesário Crescerá, 4187 - Bairro Pres. Rossevelt, 38401-119 - Uberlândia - Minas Gerais - Brasil

  • Facebook
  • Instagram - Cinza Círculo
  • LinkedIn - círculo cinza

© 2023 por Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as. Criado com Wix.com

Site produzido por 

Matheus Borsato