Revista ABPN é B1 no Qualis da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).


A Capes avaliou a Revista da ABPN e a revista ficou com o conceito B1. Trata-se de um excelente resultado para uma revista cujo objetivo é dar visibilidade às discussões sobre relações raciais a partir da produção de pesquisadores(as) e intelectuais negros(as), bem como de outros(as) comprometidos(as) com a promoção da equidade racial e a produção de conhecimento sobre África e diásporas africanas, em escalas nacional e internacional. Tem como público-alvo pesquisadores(as) e comunidade acadêmica em geral,  membros de organizações e instituições que trabalham com a questão racial, pessoas interessadas no debate sobre as relações raciais.

Por meio da Diretoria de Avaliação, em 2018, a CAPES deu início ao aprimoramento dos instrumentos utilizados na avaliação da pós-graduação brasileira, com foco na qualidade da formação de doutores e mestres.

As mudanças seguem as recomendações apontadas no relatório da Comissão Especial de Acompanhamento do Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG 2011-2020) e estão sendo debatidas com a comunidade acadêmico-científica, por meio de Grupos de Trabalho.

Em 2019, uma nova metodologia foi apresentada às áreas de avaliação, quanto ao Qualis Periódicos. Essa nova fórmula busca critérios mais objetivos que permitam uma comparação mais equilibrada entre áreas de avaliação, atentando-se também para a internacionalização.

Metodologia – Qualis Periódicos

A nova proposta se baseia em quatro princípios: Classificação única – cada periódico recebe apenas uma qualificação, independentemente da quantidade de áreas de avaliação às quais foi mencionado; Classificação por áreas-mães – os periódicos foram agrupados de acordo com a área na qual houve maior número de publicações nos anos de referência avaliativo, chamada de área-mãe;  Qualis Referência - por meio do uso combinado de indicadores bibliométricos e um modelo matemático, a própria Diretoria de Avaliação montou uma lista de periódicos pré-classificados, definidos como Qualis Referência; Indicadores bibliométricos – basicamente, são os que consideram o número de citações do periódico dentro de três bases: Scopus (CiteScore), Web of Science (Fator de Impacto) e Google Scholar (índice h5). Foi levada em consideração a categoria de área que cada base enquadra o periódico e a sua posição relativa dentro dela.

A classificação é realizada pelos comitês de consultores de cada área de avaliação seguindo critérios previamente definidos pela área e aprovados pelo CTC-ES, que procuram refletir a importância relativa dos diferentes periódicos para uma determinada área. Os critérios gerais e os específicos utilizados em cada área de avaliação da CAPES estão disponibilizados nos respectivos Documentos de Área.

A estratificação da qualidade dessa produção é realizada de forma indireta. Dessa forma, o Qualis afere a qualidade dos artigos e de outros tipos de produção, a partir da análise da qualidade dos veículos de divulgação, ou seja, periódicos científicos.

A classificação de periódicos é realizada pelas áreas de avaliação e passa por processo anual de atualização. Esses veículos são enquadrados em estratos indicativos da qualidade - A1, o mais elevado; A2; A3; A4; B1; B2; B3; B4; e C - com peso zero.


ACESSE AQUI: https://www.capes.gov.br/36-noticias/9730-capes-melhora-ferramentas-de-avaliacao-da-pos-graduacao

553 visualizações
  • Facebook
  • Instagram - Cinza Círculo
  • LinkedIn - círculo cinza

Contato:

WhatsApp: (34) 92000-8172

Email: contatoabpn@gmail.com

Endereço:

Casa de Cultura Graça de Axé, localizado na Avenida Cesário Crescerá, 4187 

Bairro Pres. Rossevelt, 38401-119 - Uberlândia - Minas Gerais - Brasil