Encontro de pesquisas práticas de Áfricas e suas diásporas: Mandingas epistemológicas e suas ruptura

Encontro de pesquisas práticas de Áfricas e suas diásporas: Mandingas epistemológicas e suas rupturas

25 a 28 de novembro Instituto de Ciências Humanas e Sociais Universidade Federal de Ouro Preto

'Bitita se via como chata. Quando queria, dizia ela, chorava por horas para conseguir algo. Na espreita compreendia os meandros dos adultos, ainda tão miudinha. Observava tudo, questionava e balançava os pactos convencionais estabelecidos com suas perguntas cirúrgicas em meio as contradições adultas. Carolina Maria de Jesus é a plena infacialização nas escritas rasuradas de Bitita (JESUS, 2016). Nesses incorporados lastros do existir o Encontro de Pesquisas-Práticas de Áfricas e seus Diásporas - Mandingas Epistemológicas: resistências e rupturas se coloca como um momento de celebração. Da alacridade (SODRÉ, 2017). Da potência do encontro como produção de força vital. Axé. Por isso nos inscrevermos nas fretas e afirmamos o devir de nossa comunidade. Somos a plena infancialização (NOGUERA, 2018). Nessa condição filosófica afroperspectivista alimentamos combinações a fim de possibilitar invenção de novos modos de vida. O encontro se propõe ser Bitita. Da desestabilização mandigada diante azeviche olhares faremos partilhas dos negros conhecimentos assentados no cotidiano da comunidade negra. Convidamos todas as pessoas a partilhar do saber que se pesquisa, trocar ideias, mesclar a graduação com a pós, docente com discente, de dentro e de fora da universidade, bota pra jogo e refazer o que está posto. É vir pra escutar e conversar, camará. São estas encruzas que nos fazem criar alternativas ancestrais aos deslocamentos de futuridade distópicas postas pela monoracionalidade (SIMAS, RUFINO, 2018). Não nos esqueçamos que foram os Ibejis que enganaram iku, a morte, com toques incessantes de tambores e a fizeram se retirar de cena. Nos afirmemos na ordem do dia feito Bititas e Ibejis, uma vez que, a missão é uma só: construir e fornecer pluriversalidades (RAMOSE, 2002) no que tange a trágica normatividade civilizatória.'

ACESSE AQUI: https://eppadorganizacao.wixsite.com/eppad2019

0 visualização

Contato

WhatsApp: (34) 92000-8172

Email: contatoabpn@gmail.com

logo padrão (PRETA) (1).png

Endereço

Casa de Cultura Graça de Axé, localizado na Avenida Cesário Crescerá, 4187 - Bairro Pres. Rossevelt, 38401-119 - Uberlândia - Minas Gerais - Brasil

  • Facebook
  • Instagram - Cinza Círculo
  • LinkedIn - círculo cinza

© 2023 por Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as. Criado com Wix.com

Site produzido por 

Matheus Borsato