• ABPN

16 ª Mostra Internacional do Cinema Negro – 2020

A Mostra Internacional do Cinema Negro - MICN, que se encontra na Décima Sexta Edição Anual (consecutiva) acontecerá de 10 a 14 de Novembro 2020, no formato digital, na plataforma do Museu da Imagem do Som de São Paulo – MIS SP, em parceria com XI Congresso de Pesquisadores Negros COPENE/Universidade Federal do Paraná – UFPR. Apoio do CELACC da ECA/USP, Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT. Apoio (promoção e divulgação) Canal Futura – Fundação Roberto Marinho


E-book: livro - 16 ª Mostra Internacional do Cinema Negro – 2020 apresentações e artigos temáticos de pesquisadores doutores, das universidades: ECAUSP, EDUSP, UNICAMP, USFC, UnB, UFBA, UEFS, UFLA, UFPR, UERR, UFMT, UFPA, UFT, UERR, UNEB, Instituto Politécnico de Lisboa, Instituto Politécnico Macau/China e University of the Western Cape Africa do Sul. Editora Jandira 2020.


Abertura: GARGÂTUA PRODUÇÕES e MARISTELA FILMES apresentam:


A Cantora Fabiana Cozza acompanhada do Musico Fi Marostica canta Fina Beleza, de Anderson Brasil e Celso Luiz Prudente Gravação MIS/SP 2020. Musica temática ao Zé Kety – O Grande Homenageado


Este evento étnico-cinematografico da africanidade é um projeto acadêmico e cultural de contemporaneidade inclusiva do afrodescendente, como minoria na horizontalidade da imagem do ibero-asio-afro-amerindio, que é vítima do tentame de fragmentação do seu traço epistemológico. Isto é uma ação preconceituosa, feita pela verticalidade da hegemonia imagética do euro-hetero-macho-autoritario. Fenômeno determinado pelo anacronismo excludente da euroheteronormatividade, Prudente (2020, 2019, 2018), que é a razão e o sentido da ordem eurocêntrica.


Para minha compreensão o cinema negro é a filmografia de todas as minorias vulneráveis, que buscam na emergente categoria conceitual de dimensão pedagógica do cinema negro a construção da imagem de afirmação positiva, que é uma espécie de lugar de imagem, com a mesma lógica de lugar de fala.


A MICN está homenageando, com efeito, alguns vultos históricos do cinema, tais como os saudosos: Grande Otelo, Ruth de Souza, Anselmo Duarte e José Carlos Bule, e sendo o Zé Kety O GRANDE HOMENAGEADO.


A MICN 2020 está laureando também como Destaque do Ano, personalidades e instituições, que, pelos esforços profissionais e institucionais, concorreram em proveito do respeito à diversidade. Concorrendo por meio de ação inclusiva, na perspectiva da superação do preconceito e da marginalização sociorracial. Ação que é tratada no âmbito da educação e da cultura, visando uma mobilidade inclusiva, de amplitude holística, no mercado de trabalho, buscando a cultura de paz.


São laureados Destaque do Ano as personalidades e instituição de ensino superior, como seguem:

Dra. Luiza Helena Trajano - Diretora do MAGAZINE LUIZA – Inclusão racial do jovem negro no mercado de trabalho de qualidade


Dr. Wilson Rosalia - Secretário Geral da FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO – Respeito à diversidade Canal Futura


Curso de Cinema Faculdade de Audiovisual da UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA, que no ano vindouro completa dez anos de curso, na região amazônica, que está fora do eixo cultural - São Paulo/Rio de Janeiro.

Compromisso, ético e militante, com a contemporaneidade inclusiva do afrodescendente.

Por: Celso Luiz Prudente - Curado 16 ª MICN MIS SP.


A Décima Sexta Edição da Mostra Internacional do Cinema Negro é um projeto, acadêmico e cultural, étnico-cinematografico da africanidade, que reafirma seu compromisso, ético e militante, com a contemporaneidade inclusiva do afrodescendente. Isto, na condição de maioria minorizada na horizontalidade na imagem do ibero-asio-afro-amerindio, que é vitima da ação na tentativa de fragmentação do seu traço epistemológico.


Ação feita pelo anacronismo excludente da euroheteronormatividade, que determina a verticalidade da hegemonia imagética do euro-hetero-macho-autoritário. Razão pela qual entendo que a minha categoria conceitual, autoral, de dimensão pedagógica do Cinema Negro é o lugar onde se localiza o processo dialético da imagem, do decantado lugar de fala, sendo assim a imagem de afirmação positiva do Ibero-Asio-Afro-Amerindio e das minorias como um todo.


Lista de filmes: 16 ª MICN MIS SP - 10 a 14/11/2020.

1-Desta vez Ulisses não sairá de casa, de Rogério de Almeida (FEDUSP) 2019, 13:30min, rodado em Portugal.

2-Maikan Pisi Pata, de Éder Rodrigues 2020, 12:00min, rodado em Roraima, na reserva Raposa do Sol.

3-Som da Raça, de Celso Luiz Prudente 2014, rodado em Roraima.

4-Raimunda Quebradeira, de Marcelo Silva 2018, 52:00min, rodado em Tocantins.

5-Por terra céu e mar, de Hilton Pereira da Silva (UFPA) 2016, 28:32min, rodado em Belém.

6-Megg a margem que migra para o centro, de Larissa Nepomuceno (UFPR) 2018, 15h00min, rodado em Curitiba.

7-Umbigada, de Gabriela Barreto 2017, 25’00 minuto, rodado em Salvador.

8-Retalho a memória viva de Saramandaia, de Lucio Lima 2015, 26h00min, rodado em Salvador.

9-Carnaval Brasil anos 40, de Pierre Verger e Barros Freire, 10:24min, rodado no: Rio de Janeiro, Salvador, Recife.

10-Traçados, de Rudyeri Ribeiro Pantoja (UFPA) 2020, 23:00min, rodado Belém.

11-Hora di Bai, de Bruno Leal (Faculdade de Teatro e Cinema do Politécnico de Lisboa) 2015, 21:00min, rodado em Lisboa.

12-Mariquinha no mundo da imaginação, de Constantina Xavier (UFMS) 2020, 10h00min, rodado em Campo Grande.

13-Jack Aventuras, de Renata Acioli (UnB) 2018, 02h38min, rodado em Brasília.

14-Aruanda, de Linduarte Noronha 1960, 22h00min, rodado no Nordeste. (em observação)

15-Questão de Justiça, de Celso Luiz Prudente (UFMT) 2017, 09h00min, rodado em Cuiabá.

16-Tem um passado no meu presente, Joel Zito Araujo (ECA-USP), 2016, 108:00min, rodado São Paulo, Distrito Federal.

17- Dorivando Saravá , O preto que virou mar, de Henrique Dantas (2017), 87:00min, rodado em Salvador.

18-Odò Pupa, o lugar da resistência, de Carine Fiúza (UFPR) 2018, 13:45min, rodado na Bahia e Paraíba.

19-Kiteyã Toalet Makurap – Nosso Conhecimento Makurap, de Roseline Mezacasa (UNIR) 2017, 32:10min, rodado Rio Branco – Rondônia, Amazônia Brasileira.

Atenciosamente,

Prof. Dr. Celso Luiz Prudente

Curador - 16 ª Mostra Internacional do Cinema Negro – MICN 2020.

Professor Associado da Universidade Federal do Mato Grosso – UFMT

Pesquisador do Centro de Estudos Latino Americano de Comunicação e Cultura - CELACC da ECA USP.

Referência

PRUDENTE, Celso Luiz. A dimensão pedagógica do Cinema Negro: a imagem de afirmação positiva do íbero-ásio-afro-ameríndio. REVISTA

EXTRAPRENSA, v. 13, p. 5-305, 2019ª. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/extraprensa/issue/view/11392> acesso em: 01 maio 2020.

______.SILVA, D. C. A dimensão pedagógica do cinema negro aspectos de uma arte para a afirmação ontológica do negro brasileiro: O olhar de Celso Prudente. 2ª. Ed. São Paulo: Anita Garibaldi, 2019. 195p.

______. A dimensão pedagógica do cinema negro. AVANCA Cinema 2018 Conferência Internacional de Cinema, arte, tecnologia e comunicação. Capítulo II Cinema. 1ª. Ed. AVANCA Portugal: Cineclube Avanca, 2018, v. 1, p. 2-794.


239 visualizações
  • Facebook
  • Instagram - Cinza Círculo
  • LinkedIn - círculo cinza

Contato:

WhatsApp: (34) 92000-8172

Email: contatoabpn@gmail.com

Endereço:

Casa de Cultura Graça de Axé, localizado na Avenida Cesário Crescerá, 4187 

Bairro Pres. Rossevelt, 38401-119 - Uberlândia - Minas Gerais - Brasil